Poesias

Surrealistas            

Ostracismo

Como Ostras, mecânica mente!

Coloco limão!

Como-as cruas!

Venço a ostra sísmica...

 

Faço algo surrealista,

Depois persigo a realidade,

Que me escapa como antematéria!

Detesto a miséria da ignorância!!!

 

Adoro a insanidade,

Que nos conduz ao amor infinito,

Que nos provoca sonhos!

 

Amo a sanidade,

Que nos faz refletir,

Que nos provoca perplexidade! 

 

Autor: Eduardo Gomes
Data: 09/03/2003


 
 

Categorias Poéticas:


Eduardo Gomes          Tel.: 55 - 71 - 98148.6350     Email: ebgomes11@hotmail.com