Poesias

Surrealistas            

Cigana

As palavras são de prata!

O silêncio é de ouro, nunca se esqueça disso;

Disse-me um dia uma jovem cigana.

E eu na gana de entender toda esta fala

 

E interpretá-la para dizer-lhe com a minha fala

Que a língua é de carne

Não tem dó nem lei; tal qual cigana,

Fala só por falar, diz sem ter o porquê!

 

Mente só por mentir

Inflama o anoitecer.

E ao lembrares da minha fala, cigana!

 

Saibas que aqui quem vos fala

Só fala dos teus doces encantos

Só fala para secar o teu pranto. 

 

Autor: Eduardo Gomes
Data: 23/08/2001


 
 

Categorias Poéticas:


Eduardo Gomes          Tel.: 55 - 71 - 98148.6350     Email: ebgomes11@hotmail.com