Poesias

Familiares            

Kata

Grandes saudades o coração me invadem

E esta feliz, triste e doce poesia...

Serve para lembrar a emoção que me cabe

Sempre que te encontro bela e forte estrela guia.

 

Poesia viva que me botou nos braços

E que me deu espaço no teu coração

Coração materno que não é de aço

Que não tem espaço para desilusão.

 

A ciência viva nos diz que o nosso primo amor

O amor do homem está na sua vida

Vida repartida, vida em comunhão...

Seios que amamentam nossos corações.

 

Laços tão eternos, perpétuos em si,

Que me tornam vivo que venço o cansaço

Só porque sinto o laço do teu coração.

 

Que protege a prole, e que nos faz de aço,

Mesmo que este aço seja ilusão

 

Ilusão dos fortes, ilusão dos fracos...

Filhos do teu sangue, carnes de tua carne.

 

Pois mamãe querida; vivo nos teus braços...

E não quero um traço de separação

 

Amem!

 

Autor: Eduardo Gomes
Data: 07/05/2002


 
 

Categorias Poéticas:


Eduardo Gomes          Tel.: 55 - 71 - 98148.6350     Email: ebgomes11@hotmail.com