Poesias

Capital Especulativo            

Omissão de Socorro?!!

Socorro, socorro, Omissão de Socorro!!!

 

A nave bateu, a porta abriu, Ela caiu!!!

 

Fuji no meu calango a 120 por hora,

Fui para a estrada de Santos,

São Pedro não me deu a mão!

 

Fui para Santiago de “Compostella”,

Abandonei a costela de Adão,

Viajei, viajei, viajei, viajei nas carreiras antes de viajar...

Deixei-a quebrada na “estrada”...

 

Procurei um canto no mundo, aonde ir,

E no canto, “encontrei comigo mesmo”

Existe alguém mais atlético, bonito, benevolente, feliz e em paz do que eu?

A minha Nave vai,

A minha Nave vem,

Estou tonto, o mar está bravo, vou vomitar,

Cadê o saco?

 

Está na Nave, profundo, sinto dor, fugir, impossível...

Ressuscitar e viver outra vida,

Talvez como um anjo,

Já que fui uma menina má, para caralho...

 

Mas da desesperança me desgarrei,

Fuji dos porões do teu navio mercante, Ed Malvadão!

E na minha Nave, conduzi e forjei o meu destino,

Para uma ilha, um vulcão extinto,

Restavam pedras, bolhas no pé...

 

Calcei o meu tênis,

Encontrei outra belíssima sereia,

Tentei amá-la! Consegui?

 

Depois de tudo, um velho trouxe-me um espelho,

Vi no seu fundo, meus lindos olhos verdes, minha pele morena,

Eu, um autêntico pão de mel,

Untei-me de chocolate para fazer sexo com ela, a outra sereia,

Isto; aprendi na TV,

Ela não gozou e foi a sua última vez... Tudo que toco morre!

 

Vou comprar uma nova consciência,

Vou pagar por uma nova vida,

Viverei no Hawai, lá ninguém me conhece!

Vou surfar Pipeline, pipe, pipe, line...

 

Pare; sou filho de Deus!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!    

 

Autor: Eduardo Gomes
Data: 14/02/2003


 
 

Categorias Poéticas:


Eduardo Gomes          Tel.: 55 - 71 - 98148.6350     Email: ebgomes11@hotmail.com