Poesias

Surrealistas            

Hospício

Ontem, fui expulso do hospício por excesso,

Transformei em internos, vários médicos:

Psiquiatras, veterinários e “psicanalistas”,

Que hoje se tratam com Florais de Bach...

 

Mil e uma drogas; consumi,

Num gozo hipocondríaco,

Alopatia o meu vício,

Ardido feito pimenta...

 

Coloquei-a na boca d’outros loucos,

Cantei músicas eruditas no banheiro,

Senti os mais sensíveis sentimentos,

Com muita profundidade e propriedade...

 

Não suportei as poesias mais realistas,

Dos poetas mais funéreos...

Não tive nada a perder!!!

Não suportei o cemitério das solitárias,

Da solitudine, da solidão...

 

Pedi perdão aos deuses,

Sentindo profunda culpa,

Completamente castrado,

Mas não fui perdoado!

 

Pedi perdão a ela,

Não fui correspondido...

Como viver sem ti?

Meu delicioso psicotrópico!

Gostosa, barbitúrica!

 

Autor: Eduardo Gomes
Data: 14/02/2003


 
 

Categorias Poéticas:


Eduardo Gomes          Tel.: 55 - 71 - 98148.6350     Email: ebgomes11@hotmail.com