Poesias

Politizadas            

Alício

Que droga de vida,

Estou de saco cheio!

Qual será meu papel?

Deverei doar sangue? Viverei em que meio?

 

Alício é de matar,

Alício intriga,

Alício Aspira crescer,

Seu vício é sua amada!

 

Consuma quem te consome, Alício! Consumo se for possível!

Consuma carne bovina!

Consuma quem te “insuma”, Alício!

 

Consuma carne suína!

Mas lembre-se, Aspirar não faz crescer,

E a vida não é uma Droga! 

Autor: Eduardo Gomes
Data: 14/02/2003


 
 

Categorias Poéticas:


Eduardo Gomes          Tel.: 55 - 71 - 98148.6350     Email: ebgomes11@hotmail.com