Poesias

Realistas            

Calúnia

“A calúnia é portentosa e onipotente!”.

Onipresentemente inunda as mentes

Ávidas por julgar e condenar

Ávidas por aniquilar e anarquizar...

 

A reputação e o caráter de um Estóico...

Vítima da má sorte

De; de alguma forma ter-se destacado.

Mexendo com os brios...

 

Da mocidade que se exalta, excita e irrita...

Com o sucesso alheio,

Prevendo sua desgraça

 

Armando sua carcaça

Cremando sua carniça

E jogando as cinzas na praça!

Autor: Eduardo Gomes
Data: 11/05/2004


 
 

Categorias Poéticas:


Eduardo Gomes          Tel.: 55 - 71 - 98148.6350     Email: ebgomes11@hotmail.com