Poesias

Bizarros Sinistros            

Negrume da Noite:

No negrume da Noite,

Aquele pestilento cachorro urrava mugia,

Acovardadamente açoitado pelas aquelas crianças no cio,

Com um gosto animal de sangue escorrendo entre os lábios...

 

A criançada de olhar perverso e atitudes animalescas,              

Ateou, ao final da celeuma, gasolina a R$10 no canídeo,

Que em desespero jogou-se no Rio fugindo para outra margem,

Tornando-se ainda mais à margem da sociedade...

 

Equitativamente falando:

Qual o animal mais perigoso!!!

Qual o animal mais tenebroso!!!

 

Qual o a animal mais enfurecido!!!

Qual o perverso que ceifa vidas por prazer!!!

Quem merece morrer!!!                                                                                                                                                                                                                                                                         

Autor: Eduardo Gomes
Data: 03/01/2018


 
 

Categorias Poéticas:


Eduardo Gomes          Tel.: 55 - 71 - 98148.6350     Email: ebgomes11@hotmail.com