Poesias

AUGUSTO DOS ANJOS            

Por que Augusto dos Anjos era o Poeta da Morte???

Conta a lenda que o jovem aristocrata Augusto dos Anjos, filho de senhores de engenho, apaixonou-se por Francisca, filha do vaqueiro da Fazenda Pau D arco. A mãe de Augusto jamais aceitou esta relação e mandou dar uma surra em Francisca, que estava grávida de Augusto, abortou e faleceu.

Augusto ficou, de então, melancólico, tristíssimo, jamais perdoando a mãe e tendo por morte o tema principal dos seus belíssimos escritos contidos no livro Eu e outras poesias.

Uma metáfora em homenagem a Francisca:

A Árvore da Serra!

— As árvores, meu filho, não têm alma!
E esta árvore me serve de empecilho...
É preciso cortá-la, pois, meu filho,
Para que eu tenha uma velhice calma!

— Meu pai, por que sua ira não se acalma?!
Não vê que em tudo existe o mesmo brilho?!
Deus pôs almas nos cedros... no junquilho...
Esta árvore, meu pai, possui minh'alma! ...

— Disse — e ajoelhou-se, numa rogativa:
«Não mate a árvore, pai, para que eu viva!»
E quando a árvore, olhando a pátria serra,

Caiu aos golpes do machado bronco,
O moço triste se abraçou com o tronco
E nunca mais se levantou da terra!

Poesia de Augusto do Anjos no início do século XX.

Autor: Eduardo Gomes
Data: 26/06/2017


 
 

Categorias Poéticas:


Eduardo Gomes          Tel.: 55 - 71 - 98148.6350     Email: ebgomes11@hotmail.com