Poesias

Bizarros Sinistros            

Mortalha de Chita!

Tragam a mortalha de chita!

Hora enterra-se um indigente!
Abre esta vala coveiro,
Joga este bosta, tem mais gente!

Doutor porque és tão cruel?
Não percebes que este será teu fim?
Tua mortalha será doirada,
Mas tua carne será podre assim!

Cala-te coveiro, tua sina é cravar na Terra,
Por migalhas, por parco dinheiro,
Cala-te boca ó coveiro!

Perdão sinhõ doutor,
É que sou justiceiro,
Trabalho por migalhas, sou seu coveiro!

Autor: Eduardo Gomes
Data: 10/11/2005


 
 

Categorias Poéticas:


Eduardo Gomes          Tel.: 55 - 71 - 98148.6350     Email: ebgomes11@hotmail.com