Poesias

TEXTOS D TERCEIROS 01            

Há dias ( José Félix )

corta a garganta amigo
quem ler a notícia
e depende da sensibilidade de cada um
sabe que a raiva e as lágrimas
são as mesmas
sobre a orquídea caída na avenida.

a luz que emana da esquina branca
é a irrealidade travestida de sombra
o ombro da luminescência
de um néscio perdido na nuvem.

entra num bar bebe um copo
e sem muito esforço
fugirás do requiem que te persegue.

há dias que nem dos mortos são.

Poesia de José Félix, outubro2003

Autor: Eduardo Gomes
Data: 22/11/2005


 
 

Categorias Poéticas:


Eduardo Gomes          Tel.: 55 - 71 - 98148.6350     Email: ebgomes11@hotmail.com