Poesias

Confessionais            

Colibri!

Num lindo canto, ecoa a Natureza,

Filho divino d’uma espécie extinta,

Amo ouvir-te!

Amo teu canto!

 

Sendo frágil, sensível, delicado,

Qual pássaro,

Não serás do homem, com certeza,

Mas uma vítima de sua natureza!

 

Teu canto de protesto ecológico,

É lógico que soa,

Tal canto de jovens politizados, à toa!

 

Teu canto errante e sedutor,

É o canto d’um gigante,

Nas artes do poder e do amor!

Autor: Eduardo Gomes
Data: 30/05/2003


 
 

Categorias Poéticas:


Eduardo Gomes          Tel.: 55 - 71 - 98148.6350     Email: ebgomes11@hotmail.com