Poesias

Sacras            

O Maior Palhaço:

É aquele que não ri de sua própria cara!
É aquele que não ri desesperadamente de sua própria condição!
É aquele que tem medo de se expor ao ridículo!
É aquele que tem medo que riam de sua cara!

É aquele que não reconhece meus, seus erros:

Às vezes fiz brincadeiras de mau gosto!
Às vezes brinquei com meus amores!
Quase todas as vezes consumi, apreendi, escravizei, cativei sentimentalmente, sentimental mentes e as abandonei!
Às vezes destruo cérebros até de parentes e amigos! Tô errado?
Às vezes fui piedoso com adversários!
Às vezes, pelos complexos, declinei de convidar uma fêmea que desejava para jantar!
Às vezes não fui convicto e conceituoso!
Às vezes não fui crítico e auto-crítico!
Às vezes não fui lúdico!
Às vezes não fui inteligente, fisicamente sádico, infinitamente burro, pederástico com quem não merecia!

Nunca fui masoquista, suicida, burro, drogado, nunca fui prosti-puta!

É aquele, de circo, que faz rir e não chora!
É aquele que não conhece a triste história de Rigolleto e sua filha Gilda!
É aquele que não tem cultura!
É aquele que não sabe dissimular, quando o é necessário!

É aquele que não acha bonito, o filho feio de uma mãe bonita!
É aquele que não casaria com uma puta!
É aquele que deseja uma virgem!
É aquela que se casa ou acasala com um pederasta!

É aquela que se casa com um dromedário ininteligível!
É aquela que não trepa por dinheiro!
É aquele que mucambeia bugigangas!
É aquele que prostitui arte e poesia, sem saber para quem!

É aquele que desconhece Darwin e sua teoria divisora de águas!
É aquele que não classifica o Homo Sapiens em subespécies!
É aquele que não compreende a potencialidade dos mestiços!
É aquele que não mantém as subespécies para a ceia divina!

É aquele que escova os dentes!
É aquele que não toma banho e se limpa completa mente na ora de amar!  
É aquele que não sabe a potencialidade adubante que tem as fezes humanas, e as desperdiça!
É aquele que não come carne, vísceras, carcaças, carniça, enfim tudo que é orgânico, salvo uma espécie!

É aquele que não tem a história como referência!
É aquele que desconhece que uma outra forma de representação simbólica é mais evoluída!
Mesmo que lhe seja posterior, principal mente!
É aquele que não tenta assassinar a morte ou quem lhe sacaneia!

É aquele cuja lógica tem mais de dois paradigmas!
É aquele que não conhece as ferramentas cartesianas da razão!
É aquele que não conhece os seus desvios emocionais!
É aquele que não reconhece, à primeira vista, a sexualidade de outros indivíduos!
    
É aquele que não max-despotencialisa seus complexos de culpa e castração e o dos seus filhos!
É aquele que não estimula a sexualidade de sua filha!
É aquele que acata qualquer sexualidade de seu filho!
É aquele que não ama antes de ser amado!

É aquele que não trai um inimigo!
É aquele que trai um parente ou amigo, até tentando assassiná-lo em troca de drogas, dinheiro, poder ou pederastia!
É aquele que infarta e morre nos meus cartesianos, sarcásticos e infalíveis versos! 
É aquele de inteligência mediana, d’outro não há o que dizer!

É aquele que acredita que toda regra tem exceções!
É aquele que não preserva a Natureza!
É aquele que desconhece a Natureza de sua natureza!
É aquele que só escreve e fala merda!

É aquele que não sabe que a poesia é a arte mais divina, virtuosa, linda!
É aquele que não sabe que a poesia mais linda é a mulher!
É aquele que, sendo horroroso e sem dinheiro, não cometeria um estupro!    
É aquele(a) que não deseja sua mãe na infância! Não sabe da sublimação e transferência estelar!

Quando falo aquele, falo aqueles e aquelas, é a porra da convenção portuguesa, que é inteligente!

É aquele que não sabe para que serve um garfo, uma faca e uma colher!
É aquele que mal trata uma mulher!
É aquele que tem piedade com seus adversários!
É aquele que não sacaneia com a cara dos amigos!

É aquele que tem medo dos seus inimigos!
É aquele que não teme a morte!
É aquele que tem esperança!
É aquele que não rima amor com flor!

É aquele que sentiu pouca dor!
É aquele que não se emociona com o sorriso duma criança!
É aquele que não se adrenalina com o choro de uma menina!
É aquele que não compreende o jogo da vida!

É aquele que não compreende o jogo do amor!
É aquele que só acredita em sexo com amor!
É aquele que não reconhece a santidade das putas!
É aquele que não reconhece a pederastia das prosti-putas!

É aquele que com drogas destrói o próprio cérebro!
É aquele que não ensina as verdades para seus filhos!
É o que não sabe o valor dos esportes para os humanos!
É aquele que não sabe o valor das religiões, e é desumano!

É aquele que nunca passou adrenalina!
É aquele que nunca foi cassado ou caiu numa armadilha feminina!
É aquele que passa parafina ou pinta o cabelo ou usa peruca!
É aquela que coloca silicone, qual travesti!

É aquela que se entope de maquiagem e perfume!
É aquela que não usa perfume barato!
É aquele que não saciaria sua fome com carne humana!
É aquele que não pode devorar intelectualmente cérebros!

É aquele que não brinca com sua amada!
É aquele que só tem uma namorada!
É aquele que está perto de Deus!
É aquele que não compreende a força agregadora da família!

É aquele que não há potencializa!
É aquele que se auto-flagela!
É aquele que não é sádico com quem despreza!
É aquele que ajoelha e reza fora do templo duma Diva!

É aquele que tem medo de se expor!
É aquele que se esconde!
É aquele que tem medo de lobo mau!
É aquele que enxerga e potencializa a potencialidade de quem tem um pau de verdade!

É aquele que não reconhece uma estratégia incontestável!
É aquele que não reconhece uma estratégia inteligível!
É aquele que não reconhece uma estratégia, melhor, impossível! 
É aquele que não lhe come o cú, cru, quando uma Lady solicita!

 

Autor: Eduardo Gomes
Data: 15/04/2005


 
 

Categorias Poéticas:


Eduardo Gomes          Tel.: 55 - 71 - 98148.6350     Email: ebgomes11@hotmail.com