Poesias

Sacras            

Cidadania, Amor, Sexo e Jogo:

Somos cidadãos do mundo, de qualquer estado,
De qualquer lugar, de qualquer nação,
Para onde olhemos, aponta um cidadão,
Que deve ser amado e respeitado,
Qual qualquer cidadão!

Para acatar isto, tem que ter culhão ou buceta,
Tem que ter baralho, que não macula os leitos de amor,
Tem que ter caralho, para entender, que na cama,
O jogo que vale é o do amor!

Eu gozo, tu gozas, nós gozamos!
Eu fodo-te, tu fodes-me, nos fudemos!
Não pode haver lixo intelectual de cartas, xadrez,
Onde o que está em moda, são os gozos!
Deve haver apenas Inteligência Sexual!
Porra! Somos inteligentes? Paremos para pensar!

Paradigmas precisam ser mudados, são velhos qual cavernoso velho!
Paradigmas precisam ser compreendidos e respeitados em nossa nova utopia!
Livremo-nos de uma vês, com os ranços da pederastia sacrástica!
Livremo-nos de uma porrada, com os ranços da pederastia militar!
Livremo-nos de uma vês, com os ranços dos pederastas prostituídos!
Mande-mos toda esta merda, para a nossa grande sexta de lixo!

Um leito de amor, é um templo, onde se oram sacras orações de contrição,
Onde se oram orações de respeito mútuo,
Onde não se brinca e satiriza com os sentimentos de ninguém,
É claro que devemos jogar compulsivamente,
Mas o jogo está para o trabalho, assim como o trabalho está para o jogo!

No leito de amor, precisamos ser livres, libertinos e inteligentes,
Entre homens e mulheres, todo néctar deve ser provado,
Um beijo na boca!
Um delicioso beijo de língua! Bom hálito é claro!
Um chupão delicado, qual moça, na buceta!
Um chupão delicado, qual moça, no cú!

Um toque da língua numa viagem sem volta,
Por todas as curvas da Europa!
Numa “Navegação de Cabotagem”
Qual é a fêmea que não gosta?
Qual é o macho que não gosta?

O prazer está nas teorias de libertação sexual, qual legislação!
O prazer está mais no prazer de dar prazer do que receber!
O meu prazer está em sua preocupação com meu gozo!
O teu prazer está em minha preocupação com teu gozo!

\\"Quem não sabe bordar, não sabe cuzê!\\"
\\"Quem não sabe chupar, não sabe fudê!\\"
Meter também, é claro, se ela goste, no rabo ou na buceta,
Do contrário pedir-lhe que bata uma punheta,
E lhe dar duas chupadas, para que ela dê duas gozadas,
E não se esqueça jamais,
Como é bom fuder com você!

 

Autor: Eduardo Gomes
Data: 15/04/2005


 
 

Categorias Poéticas:


Eduardo Gomes          Tel.: 55 - 71 - 98148.6350     Email: ebgomes11@hotmail.com