Poesias

Sacras            

Esmerar-se!

Só se for infinitamente!
Só se for infinita mente!
Só se for primitivamente!
Só se for primitiva mente!

Só ser for evolucionáriamente!
Só se for alucinogenamente!
Só se for cartesiana mente!
Só se for criacionista mente!

E se não for! E se assim o for!
Será contributiva mente?
Sincera mente não há o que temer!

Expor-se ao ridículo, faz parte! Talvez não?
Dos processos cartesianos ou contraditórios,
Que nos legaram o que somos!

Autor: Eduardo Gomes
Data: 13/04/2005


 
 

Categorias Poéticas:


Eduardo Gomes          Tel.: 55 - 71 - 98148.6350     Email: ebgomes11@hotmail.com